quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

PENSAR RICO X PENSAR POBRE



Pensar rico ou pensar pobre não é uma questão de dinheiro, é uma questão de estilo de vida. E que faz toda a diferença. Vejamos alguns exemplos antes de maiores considerações ao tema. Quanto pagaríamos por um prato de arroz com ovo no Brasil e na França? Na França não é caro para os padrões locais, mas o prato pode se chamar “oeuf ponché à la provençale” e pode ser chique ou não dependendo do acompanhamento. No Brasil pagamos caro se formos comer em um restaurante francês, muito mais caro que na França. Mas isso não é pensar rico exatamente. Pode ser exibicionismo puro ou pode ser pensar rico se for dar um presente a si próprio e comer com um grande prazer, sem nenhum exibicionismo. E pode-se comer arroz com ovo, pagando barato em um restaurante simples, ou em casa, mas com grande estilo. Ter estilo significa sentar-se à mesa em boa companhia, com os melhores talheres, comer com prazer, devagar, saboreando e sentir-se em Paris comendo “oeuf ponché à la provençale”.

Outro exemplo, esse recente. Em férias em cidade goiana fomos, eu e ela, fazer compras em um supermercado para o almoço desses dias. Pensávamos em algo simples, para rápida elaboração, porque nem sempre gostamos de ir a restaurantes e também porque corremos o risco de, em cidade onde somos forasteiros, pagarmos caros por comida ruim. E o que comprar? As opções  nos supermercados são, geralmente, poucas. Mas aí surge o inusitado. Como imaginar que em um supermercado de cidade de interior iríamos encontrar um pernil de cordeiro? Aí entra a tal questão de estilo, de pensar rico em vez de pensar pobre. É claro que compramos, temperamos, assamos e tivemos umas três refeições regadas a pernil de cordeiro que, aliás, estava divino. Tenro, bem temperado, assado ao ponto. Maravilhoso. O preço? O que pagamos pela peça no supermercado não chega nem perto de qualquer refeição (uma refeição) que faríamos em qualquer restaurante da cidade turística, para duas pessoas. O tempo? Levar para casa, temperar, ligar o forno e assar por três horas. Enquanto isso fazíamos outras coisas.

Pensar rico, e saber administrar as ações seguidas a esse pensar, só trás lucros. Pensar rico é pensar em si, é pensar e agir em prol de seu lazer e prazer, sem prejudicar outros. Aliás, é convidá-los para participar da festa. Pensar rico é não se preocupar com o que outras pessoas estão pensando a nosso respeito, é não ser exibicionista, é não ter inveja (inveja é coisa de quem pensa pobre, não necessariamente de quem é pobre).


Pensar rico é dar-se um presente desejado e interessante, dentro de seu orçamento, claro, e imaginar-se como sendo a pessoa mais rica do mundo fazendo aquilo. Pensar rico é fazer o que gosta, é cultuar a si próprio, com estilo. É autovalorizar-se. É também pensar que, sendo grande, pode contribuir para o crescimento dos outros. Pensar rico é crescer para contribuir. É uma missão de vida. Pense rico.