segunda-feira, 16 de outubro de 2017

BRAÇA

Há quantas braças daquele abraço a apertá-lo como uma braçadeira e mantê-lo algum tempo entre os braços, o melhor lugar do mundo para estar em qualquer momento? Era uma pergunta sem resposta. Aquele abraço ficou a muitas braças de tempo no passado, agora só havia confusão de tempo e de espaço.


domingo, 15 de outubro de 2017

COSTUREIRA

No dia dos professores é sempre bom lembrar: Saulo é professor, mas sua mãe é costureira. Ele cresceu entre livros, cadernos, retalhos, sedas e chitas. Foi costurando a linha da vida, como um Pererê, que lhe foi possível estudar, influenciar outros e ter seus melhores momentos.



sábado, 14 de outubro de 2017

CINTA

Diante de sua crescente incapacidade de se lembrar das coisas e pessoas que realmente importam, o pensamento de Juca vagueou por um labirinto escuro e inexplicável: usar aquela cinta que segurava suas calças para provocar o fim de tudo, o reinício do novo, em novo lugar, quem sabe melhor.

https://www.facebook.com/paulocezar.ventura/posts/1902183483131909

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

ÁRVORE

Saulo teve dois filhos que não criou, e criou dois filhos que não são dele. Para os dois primeiros ele não é da família. Entre os dois outros, uma enteada não o ouve e o outro, muito companheiro, tem síndrome de Asperger. Distante. Sua árvore genealógica está podre na raiz.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

GOVERNO

- Sr. Presidente, qual a sua última declaração como representante máximo do país, momentos antes de passar o cargo a seu sucessor?
- Sinto-me ótimo, principalmente porque, a partir de amanhã, eu posso voltar a falar mal do governo e dos políticos, um exercício libertador de cidadania.


quarta-feira, 11 de outubro de 2017

AVENTURA

- Preciso encontrar meus óculos. E os tênis, onde os coloquei? Penso que me esqueci de tomar o café da manhã. Raios, estas incertezas tomam meu tempo.
E tem início a aventura cotidiana de nosso amigo Juca. Acompanhem!


terça-feira, 10 de outubro de 2017

NOVIDADE

Fim de mais um dia. Como exercício de memória Juca escrevia os acontecimentos. Sempre que lembrava, lógico. Isso porque sua filha o perguntava à mesa do jantar, na presença de terceiros: - qual a novidade do dia? E porque ela precisa saber disso?